September 28, 2017

September 27, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

Please reload

Posts Recentes

Ruidosas, com o dever de sermos insuportáveis

November 1, 2017

1/10
Please reload

Impressões do dia

Sobre Frida, Violeta Luna, e nós Latinas Americanas

September 24, 2017

Um coração é mastigado, engasgado, engolido. Retalhos de uma carne fedida. A performance Frida de Violeta Luna mostra uma corpa forte, violentada, cheia de vontades e dores. Os pregos e agulhas na pele da performer, a injeção injetada, tudo isso também passa pela corpa dx públicx, mesmo que não fisicamente. Sente-se a dor de Frida, a dor de Violeta e de tantas outras mulheres latino americanas que vivem em um contexto delicado de um imperialismo e colonialismo. O corpo é colonizado, explorado de todas as formas possíveis, tentando ser silenciado a qualquer custo. Mas assim como Frida, Violeta explora na sua linguagem um berro, berro alto que ecoa todas as paredes do teatro, que atravessa x espectadxr.

Em um primeiro momento, Frida chega acorrentada pelo pescoço, sendo levada por uma dominatrix, o olhar forte engole x públicx, pintando a famosa sobrancelha em algumas pessoas. Logo após, dentro do teatro há uma mulher de burca no palco, sentada, encarando a todos. Frida Dominatrix A mulher de burca, todas juntas em uma só, sem distinções, mulheres, corpas. Essas figuras saem do palco, deixando apenas Violeta, que dilacera o palco com a sua presença. Sua corpa em movimento torna-se gigante diante daquele palco. Violeta mostra uma Frida transgressiva, Frida essa que ainda é viva e que luta todos os dias pela sua existência diante de um (des)governo que impera acima de nossas cabeças.

As dores e cicatrizes nunca serão esquecidas, assim como as palavras, ações, extermínio. Que os berros não sejam silenciados, que as corpas não sejam mais mutiladas dia após dia, que a resistência permaneça. Que seja quente e forte nossa revolução. Fuerza, siempre.

Obrigada Violeta, Obrigada Frida.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Arquivo
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon