Siga

September 28, 2017

8:00

Para.

Olha.

Por que tu não engole toda essa sua baba nojenta e não morre engasgado nela? Eu queria... Pelo menos um momento em que você não estivesse aqui, parado, olhando. Me sinto vigiada o tempo inteiro, por você, pelas aranhas na parede, pelos ácaros que estão acomodados nas nossas roupas, parece que quanto mais eu lavo, mais ácaros vão se juntando. É como se toda a merda do mundo estivesse acumulada em sua pele, eu farejo toda vez que você se aproxima.

PARA.

NÃO olha.

Olha. Olha a minha boca. Os meus olhos dentes pés mãos pernas nariz cabelos sobrancelha. OLHA. Você não consegue.

                                                                                         Dou risada

                                                                                         Ga...

September 25, 2017

Meus dedos

Acariciam levemente

O meu pecado

C L I T Ó R I S

Órgão de prazer,

fonte da vida,

que você não seja mais demonizada, arrancada, nem ferida

UM BRINDE AO NOSSO ORGASMO!

September 24, 2017

Um coração é mastigado, engasgado, engolido. Retalhos de uma carne fedida. A performance Frida de Violeta Luna mostra uma corpa forte, violentada, cheia de vontades e dores. Os pregos e agulhas na pele da performer, a injeção injetada, tudo isso também passa pela corpa dx públicx, mesmo que não fisicamente. Sente-se a dor de Frida, a dor de Violeta e de tantas outras mulheres latino americanas que vivem em um contexto delicado de um imperialismo e colonialismo. O corpo é colonizado, explorado de todas as formas possíveis, tentando ser silenciado a qualquer custo. Mas assim como Frida, Violeta explora na sua linguagem um berro, berro alto que ecoa todas as paredes do teatro, que atravessa x espectadxr.

Em um primeiro momento, Frida chega acorrentada pelo pescoço, sendo levada por uma dominatrix, o olhar forte engole x públicx, pintando a famosa sobrancelha em algumas pessoas. Logo após, dentro do teatro há uma mulher de burca no palco, sentada, encarando a todos. Frida Dominatrix A mulhe...

September 23, 2017

September 23, 2017

Aaaaahhhhhhhhhhh

Uhhhhhhhhhhhh

Shhhhhhhhhhhhh

MI CUERPO GOZA

EN SU FALSA LIBERTAD.

Aaaaaahhhhhhhhhhh

Uhhhhhhhhhhhhhhh

MI CUERPO QUIERE SOLAMENTE

VIBRAR SUS CÉLULAS, VIVIR

CON MUCHO GUSTO SIN PREOCUPACIONES,

BROTAR EN ALEGRIA

MILES DE FLORES SALIENDO DE MI GARGANTA

Aaaahhhhhhhhhhhhhh

Uhhhhhhhhhhhhhhhhhh

Shhhhhhhhhhhhhhhh

MIS RODILLAS PIERNAS MUSLOS PIES ATERRAME EN LA TIERRA

GOZO DE VIDA

SIEMPRE

September 22, 2017

Os passos na rua aceleram-se assim como o coração. Olhos esbugalhados berro retraído. Morro todos os dias em que um homem cruza o caminho com os olhos sedentos e a saliva escorrendo, como um lobo atrás de carne. Morro todos os dias quando ouço coisas desnecessárias. O corpo habitado é uma casa em constante zona de perigo.

A

MORTE

É

O PESADELO EM VIDA.

A Maria, Josefina, Giovana, Sara Kali, Marcela, Ana, Daniela, Juliana, Oxum, a Tara que elimina os medos, Leonor, Vanessa, Célia, Rosana, Larissa, Manuela. A elas, a todas, juntas sempre estaremos.

Please reload

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon

September 28, 2017

September 27, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

September 26, 2017

Please reload

Posts Recentes
Impressões do dia

Ruidosas, com o dever de sermos insuportáveis

November 1, 2017

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload